Buscar

Seguidores

Visitas



Sobre equilibrar pratos (parte I)

As vezes tenho a plena certeza de que eu deixo meu marido zonzo em casa. Penso demais, analiso mais ainda e falo pelos cotovelos as minhas mil ideias e filosofias maternais. Perdi muito o contato com amigas mães e acabo conversando com o maior interessado sobre o comportamento dos meus filhos, o pai deles, meu marido! :)

Esse não é pra ser um texto estruturado, com expressões bonitas e falas baseadas na psicologia infantil. É pra ser algo descontraído mesmo, um bate papo sobre como andam as coisas aqui em casa. 



Comecemos com o Vitor e o Heitor.

Os bebês fizeram 1 ano mês passado e estão passando por um daqueles amados saltos de desenvolvimento. Na minha opinião, é o pior deles. É muita coisa pra aprender ao mesmo tempo: falar, caminhar, personalidades aflorando, mudança alimentar, enfim... É muita informação pra cabecinha deles, então acabam ficando agitados, hiperativos, insones e irritadiços. Acontece que quando se tem dois bebês e dois maiores o buraco é mais embaixo. Não pra eles, pra mim!

Vitor e Heitor têm testado a nossa paciência aqui em casa. O dia é bem puxado, ainda não caminham, mas o tal do ranço tem sido visita frequente por esses lados aqui. É choro com manha, choro com sono, choro com fome, choro com tudo. Aí chega a noite, ahhh a noite, aquele momento unico e relaxante em que você faz seu bebê dormir, o põe no berço e ele dorme a noite toda. Só que NUNCA.
Não lembro a ultima vez que dormimos mais de 3 ou 4 horas seguidas. Estamos que nem zumbis em casa. Sabe quando tu te encosta e dorme até apoiado na parede? Somos nós.
Que essa fase passe logo porque nós realmente precisamos voltar a ser humanos.



Pedro e Lucca estão no 1º Ano do Ensino Fundamental e numa fase relativamente 'louca'. Estão pela primeira vez em turmas separadas, ou seja, dever de casa diferente, dificuldades diferentes, ideias diferentes.
Cheios de curiosidade e energia, nos perguntam sobre tudo o dia todo, as vezes recorrem a birra e eu recorro ao tablet quando a coisa aperta e preciso fazer os mais novos dormir, necessitando assim de alguns minutos de silêncio.

Por vezes sento e choro, sinto que estou pecando de algum lado.
Não gosto de chamar a atenção dos guris o tempo todo afinal, eles são crianças que têm energia, saúde, disposição e muitas curiosidades. Sinto que eu tinha que passar mais tempo com eles, então esses dias saímos nós 3 para um passeio só de mamãe e filhões. Foi ótimo, pude conversar com eles sem interrupções, no carro fomos conversando sobre as mais variadas coisas e eles adoraram!
Mas confesso que não é fácil, a gente se cobra muito. Percebo que estou sempre equilibrando pratos, quando um começa a querer cair, tenho que dar atenção pra girar novamente. 
Ano passado notei que eu delegava muitas coisas pro meu marido fazer e me distanciei demais deles. Devido a correria do dia-a-dia, acabava sempre falando "pede pro teu pai...", "ve se o pai faz..." e assim fui afastando meus filhos de mim. Hoje já parei com isso e deixo eles perceberem que os maninhos, agora maiores, também tem de saber esperar para que eu possa dar atenção aos maiores.

Pedro e Lucca nunca demonstraram ciúme ou qualquer coisa do tipo, nunca demos motivo para que isso acontecesse mas também nunca partiu deles reclamar de qualquer coisa. Muito pelo contrário, são os maiores parceiros que poderiam ter.



Estou vivendo uma fase complicada tentando me dividir em vários pedaços. Mãe do Vitor, mãe do Heitor, mãe do Pedro, mãe do Lucca, esposa, dona de casa, blogueira (esse ta em falta!), mulher.
Fase complicada porque está estafante não ter uma noite de sono, não conseguir me organizar direito, ter que tapear a limpeza da casa e fazer o basicão só pra conseguir viver. Aos poucos as coisas vão engrenando, mas tem dias que a vontade de fugir é grande.

Escrevi esse textinho meio sem eira nem beira pra mostrar que nem tudo são flores. Então, peguem meu bonequinho de Vodu e deixem ele dormir de boa uma noite inteira, tá? 

Beijinho e assim que possível escrevo aqui novidades. Me desejem sorte!
Bru

Um comentário:

  1. Oi Bruna, se já acho um bebê difícil de administrar imagina dois, não pera, imagina 4 quatro...Isso que falta nos blogs sabe, falta verdade, porque as fotos em redes sociais são sempre lindas, mas ninguém sabe o perrengue que é pra chegar até aquela foto kkkkkkkk. Só tenho a te dizer, força! Eles são lindos, parabéns pela bela família e muita paz e harmonia à todos, parabéns pelo blog, sempre volto por aqui. Beijos! Karina

    ResponderExcluir

Fico muito feliz com seu comentário! :)