Buscar

Seguidores

Visitas



Uma mãe, dois filhos e vários passeios.

Acho engraçado que sempre que eu saio com os guris, sempre, mas SEMPRE, tem alguém que me para pra conversar, perguntar, elogiar ou encher o saco e diz: "nossa, mas tu cuida dos dois sozinha?!" ou "como tu faz pra sair com os dois?". Fico sempre olhando com uma cara de 'pastel' pra pessoa como "saindo ué" ou "cuidando, oras!".

Sabe aquela máxima que diz: "Deus não dá uma cruz maior que podemos carregar". Eu repito isso sempre. Se eu sou mãe solteira, tive gêmeos e tenho algumas dificuldades vez ou outra, é porque "alguém lá em cima" acredita que eu sou capaz de passar por isso com dignidade e bom humor.
Taí uma coisa que acho que faz diferença no meu modo de viver: a leveza.

Apesar de eu ser considerada pelos meus amigos e família, uma pessoa brava, exigente, perfeccionista e detalhista, eu sei ser leve. Leve no sentido de não me deixar tomar conta por sentimentos ruins, sejam eles de raiva, decepção, dificuldade.
Vejo algumas mães que possuem carro, marido, situação financeira superior a minha, deixando de passear ou ir em festinhas com seus filhos porque "eu não consigo sair sozinha com meu filho" ou "a logística é muito grande".

Não estou me achando superior, longe disso, mas o que eu quero dizer é que se eu dependesse de não ter trabalho com logística, eu nunca teria tirado o nariz pra fora de casa com os guris.
Eles são super comportados na rua, andam de mãos dadas o tempo todo, não fazem show de dramas em supermercados. Isso não configura uma maternidade cor-de-rosa, mas digo isso no intuito de que as vezes as crianças que são acostumadas a situações como a minha (uma mãe pra dois filhos da mesma idade) sejam mais fáceis de lidar em ambientes públicos por entenderem de certa forma como funciona.

Saio sozinha com os dois desde que eles tinham 3 meses.
Talvez eu seja mais prática, menos medrosa. Talvez também o fato de eu ficar muito em casa com eles, mesmo que trabalhando em home office, me faça querer sair de casa a qualquer custo em alguns momentos para que eles possam curtir.
Se eu depender de ter alguém comigo sempre, acabo privando vários programas com eles. Detesto ter que ficar pedindo pra alguém me ajudar. Sempre fui muito independente de tudo e de todos, e a maternidade não me deixou muito diferente nesse ponto. Aceito algumas ajudas claro, mas em geral sou muito "eu que decido e eu faço sozinha".

Saio toda semana com eles. Vamos na pracinha, damos uma volta pelo bairro, as vezes vou nem que seja só até o supermercado a pé com eles - fica ha 2 quadras da minha casa - e eles adoram.
Vamos caminhando, canto musicas com eles (alocka que anda cantando), atravesso a cidade com eles pra irmos numa festinha de aniversário de amigos.

Ontem às 9h já estávamos de café da manhã tomados, arrumadinhos e entrouxadinhos pra irmos passear no brique da redenção, pra quem não é de Porto Alegre, esse é um passeio quase que obrigatório nas manhãs de Domingo do Porto-Alegrense. Passamos por todas as banquinhas, no final do post uma foto desse parque, que fica pertinho da minha casa.

Fomos os guris e eu, só nós.
Caminhamos, ouvimos música, passeamos, fomos na pracinha, de mãos dadas.

9h da manhã, cara de sono e disposição na saída de casa







E desde sempre é assim:


O parque da Redenção:


O brique da Redenção:

São 4 quadras de feira

E aí?! Vamos passear?!

8 comentários:

  1. É tão bonitinho ver fotos de vcs 3 juntos, você passeando de mãos dadas com teus 2 homenzinhos!!
    É preciso disposição mesmo para passear com crianças e sozinha, eu também fico sem carro durante a semana e tenho que me virar com a tropa aqui em casa, tá certo que agora eles estào bem crescidinhos e facilita mais, um de 12 anos e uma de quase 4 anos, mas já foi bem pior. Quando eu morava no centro tinha que pegar meu filho no Sevigné todo santo dia com a Sofia bebezinha, faça chuva ou faça sol lá estava eu subindo e descendo a escadaria da Duque, nem precisava mais de academia, kkk!
    Falando em Centro, semprei achei que você morava na zona sul de Poa!!
    Beijos!
    Giselle

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii Giselle! Pois é, é preciso habilidade!!!! Não é fácil, mas também não é difícil. A gente se adapta!
      E ninguém merece crianças em casa 24h né! A gente pira.

      Beijocas!

      Excluir
  2. Logística com criança é sempre complicado, ainda mais se a pessoa não tem carro, mas seja com 5 crianças ou com 1 não é fácil (o que varia é o tamanho das dificuldades conforme aumenta o número de crianças). Eu viajo pra POA com o Miguel de ônibus, mala e cuia desde que ele tinha poucos meses. Ele sempre foi super tranquilo nas viagens, mas que é uma mão é. E daí vejo minha família e alguns amigos que nem filhos tem me "cobrando" visitas, sendo que se for pensar pela "logística" fica mais fácil pra quem mesmo? Não deixo de sair com o Miguel também, e quando a nossa cachorra estava aqui em casa, saímos os 3 juntos, antes dele caminhar levava no canguru e depois íamos de mãos dadas e coleira. Sempre uma bagunça cheia de festa! É a forma de encarar as situações que faz toda a diferença mesmo. Gostei do post. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Mel, acontece o mesmo comigo. Algumas amigas que não tem filhos não acham que é tanto trabalho. Tenho que ir até elas. Mas se eu peço ajuda, "bah, não vai dar por isso e aquilo". Por isso que eu nunca peço ajuda pra ninguém!

      Agora a Meg tá voltando, tenho que ver como farei, pq não consigo sair com os dois + Meg. Hehehehe...

      Beijocas!!!!

      Excluir
  3. Adorei o post, Bru! Agora que estou me soltando para sair mais com a minha dupla, mas ainda me sinto insegura, principalmente por amamentar a Clara. Assim, quando ela fica no peito, termino sem ninguém para dar atenção para o Vítor.

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mesmo né Nanda, assim fica mais complicado mesmo, mas que bom que agora ta conseguindo sair pelo menos de vez em quando! É saudável! :)
      E a gente vê o quanto somos capazes!!!

      Beijocas!

      Excluir
  4. Bru, adoroooo essa tua iniciativa e uma certa dose de coragem pra sair sozinha com teus pequenos, eu ainda não tive essa coragem pra sair sozinha em locais movimentados, uma por que cresci em cidade pequena, e ainda tenho um certo assombro pela agitação aqui de Porto, principalmente saindo com as pequenas sinto um medo de que algo possa acontecer ou num piscar de olhos alguém levar uma delas....enfim, coisas minhas mesmo, mas me arrisco a passear com elas no condominio onde moro, ir na praçinha, jogar bola locais mais próximos e considerados por mim mais "seguros", de resto agradeço por ter um marido parceiro e presente que sempre nos acompanha, senão sinceramente pra mim ficaria complicado!

    Por isso te admiro muitooooo pela coragem!

    Beijos Gisa

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

Fico muito feliz com seu comentário! :)