Buscar

Seguidores

Visitas



Mãe Amiga: Michelle Paludo

O relato de hoje vem de mãos dadas com a esperança e o amor de uma mãe. Um amor que a gente percebe no texto escrito por ela.

Conheci a Michelle uma vez que fui numa empresa aqui de Porto Alegre e ela estava no atendimento. Eu havia levado os guris comigo e começamos a conversar, dei o endereço do blog pra ela e fui embora. Nunca mais havia tido notícias dela, mas vira e mexe lembrava daquela moça.

Até que semana passada a Michelle me escreve perguntando se poderia compartilhar a história dela. Que dúvida, né?!

Separem os lencinhos e chama quem quiser chamar. É de chorar no cantinho.
Coisa mais LINDA!!!!!!!!

Vou parar de enrolar e deixar a Michelle contar a história dela:


"Sempre sonhei em ser mãe, mas, desde criança, intuía que a maternidade para mim viria de uma forma diferente, embora nem imaginasse a longa estrada que eu teria que percorrer.
Tenho uma síndrome rara na perna direita que atinge o sistema vascular. Os médicos sempre alertaram que uma gravidez seria de alto risco.
Conheci meu atual marido aos 27 anos. Um homem 20 anos mais velho que eu, divorciado, com dois filhos adultos e um neto. Antes mesmo de o namoro começar ele me avisou que era vasectomizado, portanto não poderia ter mais filhos de forma natural. Procuramos uma clínica e nos foi indicado Fertilização in Vitro. Devido aos meus problemas de saúde e ao alto custo do tratamento optamos por adotar uma criança.
Casamos em 2008 e em março de 2009 entramos com processo de adoção. Nosso perfil era um menino ou gêmeos de até um ano. Não escolhemos cor, origem e aceitamos crianças com doenças tratáveis e também cujos genitores eram dependentes químicos. Foram 7 meses de entrevistas com assistentes sociais, psicólogos, visitas domiciliares até recebermos a carta de habilitação, a qual eu chamei de “resultado positivo de gravidez”, isto mesmo,  a partir daquele momento eu estava “grávida”. Escolhemos o nome da criança: Augusto.  Sempre pensávamos no nosso Augusto, rezava para que ele não sofresse até chegar aos nossos braços, que ele sentisse que estava sendo aguardado com muito amor. Contávamos os meses de gravidez e até meu corpo mudou um pouco. Em todas as datas comemorativas lá estava um anjinho que eu havia comprado representando o nosso filho que estava a caminho.
O tempo foi passando: vinham natais, aniversários, dia das mães, mulheres próximas a mim engravidavam, ganhavam seus filhos, ia a festas de 1 aninho e eu continuava vivendo uma “gravidez” sem data para terminar, rezando pela chegada de um filho que eu não sabia quando e nem como viria. Ligava para o fórum a cada 6 meses e nunca me davam informações concretas sobre minha posição na fila.
Cansei de esperar e decidi partir para a Fertilização in Vitro. Fomos aprovamos no Instituto Assistireh, onde sairia menos oneroso. Foram meses de preparo devido aos meus problemas de saúde. Em junho de 2011 comecei tratamento. Muitas injeções, medicamentos, ecografias.
Meu marido e eu baixamos na PUC para coleta dos óvulos e dos espermatozoides. Conseguimos 3 embriões e decidimos implantar dois. Fiz repouso absoluto e seguia a risca o tratamento. Duas semanas depois o resultado: positivo! Agora sim eu estava realmente grávida e de gêmeos. Sempre sonhei em ter gêmeos e fui tomada por uma alegria divina. Entretanto meu sonho durou pouco. Comecei a sangrar e alguns dias depois não havia mais chances.
Deprimi, meu casamento entrou em crise, eu pensei que não seria mãe e comecei a tentar me conformar com isso e fazer novos planos. Entretanto havia um embrião congelado e eu, embora não tivesse grandes esperanças, precisava resolver aquela situação, virar a página de vez.
Decidi implantar o embrião menos de dois meses depois do aborto. Em seguida novo resultado positivo. Desta vez não me empolguei, fui levando sem criar grandes expectativas. Passaram-se semanas até que ouvimos pela primeira vez o coraçãozinho do bebê. Os médicos garantiram que o embrião estava bem implantado mas deveria usar uma medicação durante 12 semanas. Somente depois deste período é que de fato comecei a curtir minha gravidez, fazer enxoval e planos. Fazia ecografia todos os meses. Meu marido “engravidou” junto a ponto de ele ter enjoos, azia e desejos. Ele afirmou desde o início que seria uma menina.  Durante a eco com 16 semanas veio a confirmação: Letícia estava a caminho. Eu que sempre pensei em ser mãe de menino comecei a adorar a ideia de ter uma menina e mergulhei num mundo cor de rosa e lilás. Estávamos todos muito empolgados com a chegada da Letícia. Minha gravidez seguia bem, porém sob muitos cuidados médicos.
Um dia estava eu trabalhando e minha mãe ligou avisando que recebera uma ligação da vara da infância e juventude. Liguei para lá e a assistente social me questionou se ainda estávamos interessados na adoção. Claro que sim. Então ela me falou de um menino pardo, com 40 dias de vida, contou-me parte da história dele e disse que poderíamos conhecê-lo no outro dia de manhã. Eu mal conseguia falar com ela pois lágrimas corriam pela minha face, desliguei telefone chorando, sorrindo, eufórica mas também muito receosa pois sabia que o fato de eu estar grávida poderia dificultar a adoção. E foi justamente isso que aconteceu. Quando souberam que eu estava grávida de quase 6 meses não queriam mais nos dar o bebê. Tivemos que lutar muito para garantir o direito de trazer nosso filho para casa.
Conseguimos. No dia 15/06/2012 pude, pela primeira vez, ter meu filho nos braços. Jamais vou esquecer o momento em que eu entrei no berçário e vi aquele bebezinho minúsculo. Olhamos para ele e explicamos que mamãe e papai haviam chegado. Quando o peguei no colo, tudo parou, fui tomada por um alívio, uma paz divina e uma alegria incomensurável. Não tive dúvidas: era um encontro de almas. Augusto já fazia parte da minha vida a tanto tempo e agora, finalmente, ficaríamos juntos. Naquele momento todos os anos de espera foram recompensados. Levamos nosso filho para casa. Fomos recepcionados com festa. Augusto foi muito bem recebido por todos. Não parávamos de receber visitas e presentes.
Minha vida mudou do dia para noite pois me tornei mãe. Entrei em licença maternidade e fiz questão de me dedicar exclusivamente para o Augusto e para os cuidados com a gravidez da Letícia. Augusto por ter passado uma gestação conturbada e nascido prematuro, teve alguns probleminhas e precisou de cuidados especiais. Não medimos esforços e eu, apesar de nunca ter cuidado de um bebê antes, até que me saí bem. Percebi o quanto meu instinto materno estava aflorado.
O final da minha gestação foi de muitos cuidados médicos. Marcamos a cesárea para 38ª semana porque eu não podia entrar em trabalho de parto. Combinamos que o Augusto ficaria sob cuidados da minha mãe enquanto eu estivesse na maternidade.
Então chegou o segundo dia mais marcante da minha vida: 02/10/2012. Desta vez toda a emoção, expectativa e nervosismo de um parto cesáreo planejado por uma equipe de vários médicos.  Parto transcorreu conforme previsto e Letícia nasceu linda, saudável, com 50 cm e 3.515gr. Sinto até hoje o cheiro, o gosto e o choro daquele Serzinho recém-nascido sendo colocado no meu colo. Aquelas mãozinhas e olhos bem abertos, já explorando um mundo novo. E eu que, desde criança, sabia que não deveria engravidar, estava ali com um bebê gerado por mim. Eu fui capaz, que vitória!

Letícia - 1 mês e Augusto - 6 meses
Logo após o parto tive hiperlactação. Consegui amamentar a Letícia e tirar leite para o Augusto durante vários dias. Que emoção alimentar meus dois filhos. Quando cheguei em casa com eles nos braços senti que aquele meu desejo de ser mãe de gêmeos de certa maneira se realizou. Mãe de duas crianças com menos de 5 meses de diferença de idade. É tudo em dose dupla, tanto as alegrias, quanto o trabalho e as preocupações. Somente quem tem gêmeos sabe como é cuidar de dois bebês ao mesmo tempo mas vale a pena.

Letícia - 5 meses e Augusto - 10 meses
Cumpri uma difícil missão e fui recompensada com dois filhos maravilhosos. Sinto orgulho da minha história, mas hoje tenho consciência de que tudo que eu fiz não é suficiente para fazer de mim uma boa mãe. Agora sim tenho uma missão muito mais difícil e importante, uma missão sem fim pois  ser mãe é para sempre. Mãe sempre se culpa por não ser perfeita e eu estou longe de ser por isso peço a Deus que me oriente para que eu consiga criar meus filhos da melhor maneira possível e rezo para que eles sejam pessoas de bem, felizes e amigos um do outro." 

Linda, linda história e os filhos então, nem se fala!!! Parabéns Michelle!!!!!!

Beijos no coração e obrigada por confiar em mim pra dividir a tua história!
Bru.

31 comentários:

  1. Belissima história! Mais uma Guerreira, mãe em dose dupla e com uma garra de emocionar! Confesso que as lágrimas rolaram mas foi de alegria e emoção por saber que o amor e o esforço venceram e que hoje Michelle foi abençoada não com um mas com dois lindos filhos. Parabens e muita saúde pra esta familia linda! Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Linda história!!!!! Parabéns a Michelle, uma mãe super guerreira!!!
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Belo relato! Fiquei emocionada! E que irmãos lindos :)

    Beijos e parabéns pela história!

    ResponderExcluir
  4. Parabéns!
    Lindos teus amores Michelle!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Michelle que vida linda!!!!! PARABÉNS pelos filhos lindos e pela tua incansável luta!!! Não desistiu do teu sonho e tá aí: realizado!!
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Que linda história, Michele!
    Parabéns, és uma sortuda e vitoriosa mãe!
    Que Deus ilumine toda tua linda família!
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Nossa, que história!!!
    Parabéns Michelle, não apenas pela tua vitória, mas por toda a tua fé, tua garra e persistência de não desistir do teu sonho de ser mãe, mesmo diante de todas as dificuldades.
    Muitas felicidades para ti e para os teus filhos que são lindos!
    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Lindo mesmo, esta história de amor, perseverança e fé dos meus Tios Edalmir e MIchelle, melhor ainda é ser prima destes dois "anjinhos" que DEUS presenteou a família. Parabéns!!!!! E que esta história repita sempre "... e viverão felizes para sempre..." Beijos dos Tios Edenir Carneiro e Anacir e a prima Sheila.

    ResponderExcluir
  9. História linda demais, ainda mais pra quem vivenciou!!!! :D

    ResponderExcluir
  10. História cheia de sonhos, angustias, aflições, indecisões, decisões...foram muitos os desafios pelos quais tu passou para realizar esse sonho tão sonhado...com um final feliz...Parabéns por ser essa mãe que travou verdadeiras batalhas para conseguir os teus filhos....meus afilhados lindos de morrer!!!!

    ResponderExcluir
  11. Que história linda! E as fotos dos dois juntos são muito fofas!

    ResponderExcluir
  12. Edalmir Carneiro8 de abril de 2013 21:47

    Michelle: Parabéns, não só pelo relato fiel dos fatos, mas principalmente, pela sua coragem, fé, insistência em não desistir nunca de realizar seu sonho. Como pai destas crianças, assisti "em loco" tudo isso, chorei algumas vezes sim, mas não tanto como agora lendo seu relato. O importante é que você venceu, que nós vencemos e eles estão aí, dando-nos preocupações e muitas alegrias. Te amo muito. beijos.

    ResponderExcluir
  13. Linda história e que Deus permita que os dois se sintam tão amados quanto o outro pois foram desejados igualmente!Bjs para a família linda!!!!!

    ResponderExcluir
  14. linda história, deus ouviu as tuas preces e te presenteou com esses bebês lindos....com certeza és e serás a cada dia uma super mãe, pois Deus te deu esses filhos lindos pois confiou em ti!

    beijos

    ResponderExcluir
  15. Que história sensacional! Serve para entendermos que tudo tem sua hora e que sempre receberemos o melhor. Parabéns pela coragem, dedicação e amor. Beijos, Gisa Hangai

    ResponderExcluir
  16. Michelle,tua história é uma lição de superação. Lembro-me do teu pedido quando fui ao RJ: "Kakau pede ao Cristo Redentor que a minha adoção seja liberada". Hoje a tua vitória é minha também Parabéns amiga, pelos filhos lindos, maravilhosos... Que Deus continue a Iluminar tua família! Beijos, Kakau

    ResponderExcluir
  17. Nossa querida Amiga, que história Linda, Emocionante que toca no coração da gente, impossível não chorar...Mesmo de longe é possível sentir a vibração em suas palavras...Que Deus abençõe esta Linda Família e as pessoas que estão a sua volta, pois estes são Anjos que fazem parte desta História...Vocês são exemplos de que não podemos desistir de nada nesta vida abençoada por Deus! Adoro Vocês:)
    Grande beijo. Jana e Família:)

    ResponderExcluir
  18. Relutei para publicar minha história. Quando eu estava no processo de adoção e no de fertilização participava de vários fóruns, li muitos depoimentos, conversei com muita gente e lembro o quanto isso me ajudou. Então decidi que chegou a minha vez de me expor e compartilhar minha história. Entretanto os méritos não são só meus e sim também do meu marido. Um homem que foi companheiro, abraçou este sonho comigo, lutou, me apoiou.. um homem admirável, mesmo tendo seus filhos e netos fez do meu sonho o sonho e objetivo de vida dele também. Um pai exemplar, aprendo demais com ele.
    Obrigada a todos pelas belas palavras, gostaria de abraçar cada uma de vcs, mas o que eu fiz nem se compara às inúmeras histórias de superação que eu já lí, até mesmo aqui no blog, de mães guerreiras. Sei que tenho MUITO a aprender e a evoluir. Cada dia um aprendizado, um desafio. Entretanto agora eu tenho meus filhos comigo e aprendo diariamente.
    Obrigada também aos meus amigos que fazem parte da minha vida.

    ResponderExcluir
  19. Lindoooo!! Que eles construam uma linda amizade e companheirismo que só os manos possuem! bjos

    ResponderExcluir
  20. Mi parabéns ficou lindo!!! Não sou muito boa em escrever, mas faço parte dessa história linda também. Me lembro de tudo desde o começo. No primeiro momento me deu medo de tudo isso, pra mim como filha mais velha do Edalmir parecia tudo surreal, alguns anos atrás reclamava de ter tido somente um irmão e que gostaria de ter tido outros. E quando se tornou real , fiquei com tanto medo que não tive reação, mas aos trancos e barrancos cai na real e vi o quanto isso era maravilhoso. Quando soube que era uma menina fiquei mais feliz ainda, uma princesa para mimar, tudo o que eu queria né, nunca soube me expressar muito pois acho que no fundo rolava um ciumes inconsciente, Depois veio o Augusto do dia pra noite, me lembro como se fosse hoje você grávida entrando no cartório chorando desesperada e eu sem entender nada ai depois entendi hehehe, me lembro da gente saindo correndo pra comprar as coisas pra ele. Quando peguei ele então pela primeira vez nossa que sensação, inexplicável, ali olhando nos olhinhos dele senti que eu tinha mais amor do que nunca pra ter irmãos novamente . Entre autos e baixos Deus foi muito perfeito para todos nós, pois eles são perfeitos. Hoje quero te agradecer ter sido essa mulher tão guerreira e corajosa se não fosse pela sua coragem e determinação não tinhas esses dois anjos em minha vida. Obrigado por também ter mudado a minha história. (Michelle Jaqueline Carneiro)

    ResponderExcluir
  21. Bonito mesmo!! Criancas lindas! que Deus sempre ilumine!

    ResponderExcluir
  22. Mi... parabéns pela garra, pela determinação e principalmente pelo AMOR!!!
    Esse sim, que move tudo. Você provou que é possível SIM, chegar onde muitos acham distante.
    Mas com a determinação e o apoio de todos que te cercam e abraçaram junto contigo esse sonho, essa história incrível, linda que vocês estão construindo juntos.
    Tenho certeza que é só o início de muitas bençãos que iram viver.
    Creio e uso sempre essa frase na minha vida, que inclusive foi impressa no convite de meu casamento.
    SONHO QUE SE SONHA SÓ... É SÓ UM SONHO QUE SE SONHA SÓ.....
    SONHO QUE SE SONHA JUNTO É REALIDADE!!!
    Você está sendo exemplo para muitas mulheres....sob todos os aspectos.
    Parabéns (tia) e obrigada por nós dar esses primos apaixonantes e lindos ;)
    Bjos da família Carneiro Coutinho

    ResponderExcluir
  23. Michelle, fui as lágrimas com tua história...acompanhei um pouquinho dela, quando conversávamos lá no salão, sei o quanto lutaste para ter estas crianças, Deus te compensou, enviando-te dois anjos lindos!Parabéns pela garra, e agora é curtir!

    ResponderExcluir
  24. Parabéns pelos teus dois anjinhos e que Deus continue abençoando cada vez mais a tua família e acredite, nada é por acaso, Deus sabe o que faz e para o melhor! Vale mencionar duas passagens bíblicas:

    "Tudo concorre para o bem daqueles que amam a Deus" (Romanos 28;8)
    "Entrega teu caminho ao Senhor, confia Nele e o mais Ele fará." (Salmos 37;5)

    Beijos!!! Camila Beilich

    ResponderExcluir
  25. Ai que história linda!! Amei, e os babys são coisa mais gostosa!!

    ResponderExcluir
  26. Acompanhei essa história, pois trabalho no RH da empresa da Michele. Não sabia de detalhes, mas mesmo assim já a achava linda. Parabéns Michele!

    Renata

    ResponderExcluir
  27. História linda e emocionante! Estou arrepiada :)
    Desejo TUDO de bom, sempre!!! Parabéns pela força de vontade e pela garra!

    ResponderExcluir
  28. Puxa... que emocionante! Linda história, felicidades sempre...

    ResponderExcluir

Fico muito feliz com seu comentário! :)