Buscar

Seguidores

Visitas



Perguntas e Respostas sobre ROSÉOLA

É cada dia mais comum ver as mães falarem sobre Roséola, mas afinal... o que vem a ser isso?? Apesar de ser comum, existem muitas dúvidas quanto aos sintomas, tratamento, prevenção, etc.

Eu até poderia editar a matéria, mas achei melhor colocar na íntegra, pra não excluir alguma informação importante.

Perguntas e Respostas sobre a ROSÉOLA:

Meu filho estava com febre, e agora a pele ficou manchada. Será roséola?

Pode ser. A roséola é uma daquelas doenças inofensivas da infância mas que deixam os pais malucos de preocupação. Ela começa com uma febre bem alta, sem explicação, e atinge principalmente crianças entre 6 meses e 6 anos, predominando nas menores de 2 anos. 

A roséola é causada por um vírus, o vírus do herpes humano tipo 6 (HVH-6) e 7 (HVH-7), e é transmitida pela saliva (pense em todos aqueles brinquedos que passam pela boca de todas as crianças da escolinha). É difícil identificar onde ocorreu o contágio, porque a roséola é transmitida quando a erupção de pele ainda não apareceu (e portanto ela ainda não foi diagnosticada), e o período de incubação vai de 5 a 15 dias. 

Quais são os sintomas?

A roséola tem um padrão bem característico, de acordo com o esquema a seguir: 

• febre alta, repentina e contínua, que fica entre 38,3 e 42,2 graus, durante três ou quatro dias, e que desaparece tão rápido como veio. 

• além da febre, sintomas como nariz escorrendo, tosse, uma leve diarréia, falta de apetite e de energia. 

• quando a febre vai embora, a pele começa a ficar manchada. A erupção costuma começar no tronco, e depois vai se espalhando na direção do pescoço e das extremidades, e desaparece em algumas horas ou em até três dias. 

A erupção é cor de rosa, e pode ter elevações. Às vezes há um halo mais claro em volta dos pontos vermelhos. As manchas costumam aparecer no tronco e no pescoço, mas podem se espalhar para os braços, as pernas e o rosto. 


Preciso procurar o médico?
Como precaução, é melhor conversar com o pediatra. A maioria dos médicos prefere ser avisada de uma febre tão alta em uma criança de menos de 2 anos. O médico deve orientá-la a observar a criança e prestar atenção para ver se a erupção aparece depois de alguns dias. Se a febre persistir por mais de três dias ou a erupção for diferente da descrita, é melhor levar a criança de volta ao médico. 

Qual é o tratamento?

Assim como nas outras infecções por vírus, não há tratamento contra a causa da doença, apenas para aliviar os sintomas. 

Na fase da febre, mantenha seu filho confortável, dando bastante líquido para evitar a desidratação. Administre antitérmicos se a febre estiver muito alta e a criança estiver claramente incomodada. Depois que a febre vai embora, a criança ainda pode ficar irritada e manhosa por alguns dias, portanto arme-se de paciência. Logo ela estará novinha em folha. 

Pode haver alguma complicação da roséola?

A febre alta provocada pela roséola às vezes pode causar uma convulsão febril, se a criança for suscetível. Ela pode ser assustadora, embora na maioria dos casos não traga nenhuma consequência à saúde da criança. Em situações muito raras, o estágio febril da doença pode levar à meningite ou, mais raramente ainda, à encefalite (inflamação do cérebro), mas com boa evolução. 

Mas, durante a fase febril, ainda não dá para saber se se trata de roséola, porque a erupção só surge depois. Isso quer dizer que seu filho estará sob observação por causa da febre alta, e qualquer sintoma preocupante (letargia, confusão mental ou qualquer coisa que assuste você) deve ser comunicado ao médico. 

Adultos pegam roséola?

A maioria das pessoas tem anticorpos para a roséola já aos 4 anos de idade, mesmo sem nunca ter tido a doença. Em certos casos, um adulto com o sistema imunológico comprometido, como uma pessoa submetida à quimioterapia, pode sofrer uma infecção devido à reativação do vírus, numa espécie de herpes zóster. 

Estou grávida e fui exposta ao vírus. Há perigo?

Como praticamente todos os adultos são imunes à doença, em princípio não há nenhum risco. Não existem registros científicos de consequências negativas da roséola na gravidez. 
Fonte: BabyCenter

Um comentário:

Fico muito feliz com seu comentário! :)