Buscar

Seguidores

Visitas



Como saber se seu filho mama o suficiente?!

As mães mencionam uma variedade de sinais que as levam a pensar que não estão produzindo leite suficiente. Entretanto, existem apenas dois sinais que mostram de forma confiável que o bebê não está mamando leite suficiente. Esses dois sinais são: pouco ganho de peso e eliminação de pequena quantidade de urina concentrada.


Uma regra útil é: se o bebê está abaixo de seu peso ao nascer após duas semanas de idade ou se ganha menos de 500 gramas ao mês durante os seis primeiros meses de vida, ele não está ganhando peso suficiente e não está mamando suficiente volume de leite. Para que se possa avaliar se há pouco ganho de peso, necessita-se de pelo menos duas tomadas de peso para serem comparadas. Um intervalo mínimo entre as tomadas de peso é duas semanas, no qual o bebê deve ganhar 250 gramas ou mais.

Se um bebê urina menos que 6 vezes ao dia e a urina é amarela e tem odor forte, o bebê não está mamando leite suficiente. Este é um bom sinal para monitorar a ingestão diária de leite materno, enquanto se aguarda a informação sobre o ganho de peso. Não é um sinal útil se o bebê está desidratado devido a diarréia, se está
recebendo outros fluídos além do leite materno ou quando se usam fraldas muito absorventes que dificultam a obtenção de estimativas sobre a quantidade de urina.
Existem outros sinais que podem significar que um bebê não está mamando leite suficiente. Estes são sinais possíveis.

Os sinais possíveis relacionados ao bebê são:
- não satisfeito após uma mamada
- chora muito
- quer mamar com muita freqüência
- faz mamadas muito longas
- recusa-se a mamar
- apresenta fezes duras, secas ou verdes
- apresenta fezes em pequena quantidade e pouco frequentes

Os sinais possíveis relacionados à mãe são:
- suas mamas não cresceram durante a gravidez
- o leite “não desceu” depois do parto
- não saía leite quando espreme o peito

Um bebê que não parece satisfeito após as mamadas ou que quer mamar com muita frequência ou por tempo prolongado em cada mamada, pode estar sugando de forma ineficiente o que faz com que não consiga obter facilmente o leite. Algumas vezes, um bebê pode recusar-se a mamar por frustração, quando o leite não flui bem. Se um bebê chora muito, sua mãe pode pensar que tem pouco leite. Entretanto, há outros motivos pelos quais um bebê chora. Às vezes, por exemplo, os bebês parecem mais famintos que o habitual por alguns dias, possivelmente porque estão crescendo mais rápido que anteriormente. Isto é chamado de estirão. Outras vezes o bebê mostra-se inquieto por causa de alguns alimentos que sua mãe consome. Alguns bebês choram muito porque precisam ser abraçados e carregados mais que outros.

Uma outra razão comum para o choro é a “cólica”. Um bebê com cólica geralmente chora de forma contínua em certo período do dia, geralmente ao anoitecer. O bebê pode encolher suas pernas como se tivesse dor abdominal. Bebês com cólica crescem bem e o choro geralmente diminui depois dos três meses de idade. A freqüência com que bebês sadios, adequadamente amamentados, evacuam é variável. Alguns bebês não evacuam por vários dias enquanto outros o fazem oito ou mais vezes ao dia. Entretanto, as fezes de um bebê amamentado são semi-líquidas e, quando infrequentes, geralmente são eliminadas em grande quantidade. Se um bebê evacua de maneira infrequente e as fezes são pequenas, duras, secas ou verdes o bebê pode não estar mamando todo o leite de que necessita.

Ocasionalmente, uma mãe pode observar que não houve mudanças em suas mamas durante a gravidez ou nas primeiras semanas depois do parto e não conseguir retirar leite do peito nos primeiros 4-5 dias. Ela pode ser uma dentre as poucas mães que não são capazes de produzir quantidade suficiente de leite.

Se vocês está com dúvidas em relação à sua produção de leite ou se acha que seu bebê não está recebendo quantidade suficiente de leite, procure ajuda!!!

Fonte: “Pouco Leite”. World Health Organization/Division of Diarrhoeal and Acute Respiratory Disease Control. “Not enough milk”. UPDATE Nº 21, March 1996.

Nutricionista Rosane Baldissera
Consultora em Amamentação – Porto Alegre/RS
Fones: (51) 95329195 ou 91684658
http://www.mamaebebeamamentação.com/

4 comentários:

  1. Oi, Rosane! Obrigada pelos esclarecimentos.
    Mas isso tudo é para quando o bebê ainda se alimenta exclusivamente de leite materno, não é mesmo? Comecei a ter dúvidas depois que introduzimos outros alimentos para a minha filha que hoje tem 8 meses. Daí os critérios mudam? Porque acredito que até o padrão de ganho de peso é diferente depois dos 6 meses, estou errada?

    Julia

    ResponderExcluir
  2. Já compartilhei para as demais mamães tb lerem!

    ResponderExcluir
  3. Oi Júlia, isso é para recém nascidos, bebês que mamam somente no peito! Para os maiores muda bastante!!! O padrão de ganho de peso tb é diferente! Bjs

    ResponderExcluir
  4. Aqui na Italia é comum as maes comprarem uma balança de bebe, e pesarem o bebe antes e depois da mamada, assim sabem quanto ele mamou. Normalmente elas fazem isso em todas as mamadas na primeira semana, e depois que estabiliza e elas ganham confiança, param.

    ResponderExcluir

Fico muito feliz com seu comentário! :)