Buscar

Seguidores

Visitas



Mãe Amiga: Fernanda Lery

Quando conheci a Fê, ela era uma tentante. Eu tava grávida de 6 meses e tinha tirado ela num amigo secreto virtual. Nunca tinha visto ela na vida. Coincidentemente ela sentou ao meu lado no restaurante e ficamos conversando por um bom tempo, foi quando ela disse que estava louca pra engravidar. Em menos de um mês ela descobriu que havia deixado de ser uma tentante. Ela era GESTANTE.

Fomos nos aproximando cada vez mais e pude acompanhar a gestação dela. Foi muito bom ver ela se tornando mãe a cada semana.

Hoje ela é mãe do fofo Gael, de 9 meses, e escreveu um texto falando um pouco do que ela pensa sobre "Ser uma BOA Mãe".

Com vocês, a Fê:

"Para algumas pessoas, talvez muitas, ser mãe é colocar um filho no mundo. É suprir as necessidades básicas de uma criança e fazê-la crescer. Para mim, é bem mais do que isso. A começar elo fato que, para ser mãe, não é preciso gerar um bebê. Existem muitas outras formas de tornar-se mãe.

Para mim, ser mãe não se pode separar de um adjetivo: ser uma BOA mãe. Ser uma boa mãe requer abrir mão de muitas coisas e mais que isso: QUERER abrir mão de muitas coisas! Ser uma boa mãe é mais que criar um filho. É criar com carinho, atenção, amor incondicional.

Nunca me imaginei mãe, quem diria uma boa mãe! Eu...deixar de sair de quinta à domingo pra ficar cuidando de um bebê??? Eu....deixar de comprar roupas e roupas, sapados e sapatos quando desse na telha? Eu.....deixar de dormir até a hora que quisesse nos finais de semana???? NUNNNNCA!!!!

NUNNCA?? Pois não é que o cara lá de cima calou a minha boca???

Com 34 anos e com 2 anos de casada resolvemos engravidar. A primeira sensação quando se vê um resultado positivo é uma mistura de nervosismo, felicidade, excitação...medo do novo. A primeira coisa que pensei foi “será que vou saber cuidar de uma criança”?

Mas a natureza é sábia e não é por nada que ficamos por nove meses “esperando”, nos adaptando, nos preparando e já desenvolvendo um amor tão grande, mas tão grande, que somos capazes de qualquer coisa por essa pessoinha que está chegando.


Depois que tive o Gael, cenas de maldade com crianças passaram a me chocar ainda mais, cenas de amor em família, me emocionam ainda mais, até comerciais de margarina mexem comigo. Fiquei mais emotiva e muuuuuiiito mais paciente, para a felicidade do meu marido!

Ter um filho é um aprendizado diário. Aprendemos a amar alguém mais que a nós mesmos; aprendemos a valorizar ainda mais os momentos em família; aprendemos a controlar alguns sentimentos; aprendemos a aprender, pois, muitas vezes, temos que deixar o orgulho e nossas antigas opiniões de lado. Mas, para mim, o mais difícil desse aprendizado todo, é me convencer que nossos bebês crescerão e que não teremos controle sobre eles sempre. Que eles estão e estarão cada vez mais sujeitos a acontecimentos que estão fora de nosso controle, doenças, acidentes, drogas....tudo que rodeia a vida da gente. Me dói imaginar que alguma coisa ruim possa acontecer com o nosso Gael. Mas como já disse antes, nada é por acaso, e os 7 dias que passamos com ele em um hospital, resultado de uma forte bronqueolite, já me fez ver que ele não está a salvo das coisas ruins, mas também já me deixou mais preparada para essas difíceis situações.


Ser uma BOA mãe é nos darmos conta dos nossos limites. Sabermos até onde devemos ir e até onde devemos deixa-los ir sozinhos para cair alguns tombos, levantar e seguir adiante. Mas o mais fascinante disso tudo é que, para cada um de nossos filhos, somos a melhor mãe do mundo e que não importa se somos mães há 1, 20 ou 50 anos estaremos sempre neste eterno aprendizado!

Costumo dizer  que, se soubesse que ser mãe era tããããooo bom, teria providenciado antes. Mas a questão é: se tivesse sido mãe mais cedo, será que eu acharia tão bom assim? Tudo vem em sua hora e, pela terceira vez digo que nada é por acaso. Não é por acaso que esperei 35 anos por isso; não é por acaso que é o Gael que está hoje entre a gente. Não é por acaso que escrevo este texto hoje e que você o está lendo!

Mas afinal, o que é ser uma BOA mãe?

Acredito que seja seguir o nosso coração, fazer o que for melhor para a gente e nossa família! Se doar sem medo! Proporcionar o que for possível para que nossos filhos cresçam íntegros, éticos, saudáveis, corretos, que saibam dizer não às drogas e que, acima de tudo, sejam felizes com a base que proporcionamos a eles!
Essa não é uma tarefa fácil e espero, do fundo do coração, que todas nós sejamos capazes!

Boa sorte pra gente!"

Quer deixar um recado pra Fê?? Escreve aqui nos comentários!

Beijo,
Bru

10 comentários:

  1. Que lindo, Fê!
    Emocionante!
    Parabéns pelo teu filho lindo!!
    Um beijo,
    Paola Condessa

    ResponderExcluir
  2. Realmente é uma dúvida constante para nós mães.
    As vezes me pergunto se os papais tb pensam assim com a mesma intensidade, ou são mais do estilo "deixo a vida me levar".
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Lindo Fê amei teu relato!
    Que fofo que está o Gaelzinho!Eu não conheço a Fê pessoalmente ainda, mas adoro muito essa guria, não sei por que mas sinto uma afinidade enorme por ela!#prontofalei :), to emotiva hoje!

    Beijos Gisa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A afinidade é recíproca Gisaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa! bj. fê

      Excluir
  4. Adorei Fê!!!! Aquele dia do amigo secreto foi mesmo sensacional... Tocar na barriga da Bru era um passo pra engravidar hihihi!!!! Acho até que podemos fazer um do GM!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. de lá tb vieram Antonella e Sofia, da Shai!!!

      Excluir
  5. Ai q lindo amei..não é fácil, quando peguei o Lucca e vi akela carinha pensei afffffff....ele é meu e eu preciso cuidar meu Deus me ajude sozinha não consigo....cada dia é um aprendizado mas só tem 28 dias q estou assim hehe mas estou amandoooo bjus para todas nóss...

    ResponderExcluir
  6. Adorei fe, muito lindo.
    Tb queria ter engravidado do gabi antes.
    Beja
    Jorgea

    ResponderExcluir
  7. Ai Bruuuu e gurias, vocês me deixaram com os olhos cheios de lágrimas! Que bom que gostaram do meu textinho! Adoro vocês e é maravilhoso fazer parte deste grupo! beijos
    Fê Lery

    ResponderExcluir
  8. Fê...Adorei o texto.
    Compartilho muito da tua opinião... e acresento sentir muitos medos também ... medo de pecar ..errar... Pois AMO MUITO a MARINA, mas ao mesmo tempo SER MÃE é a minha maior realização!!!
    O Cheiro dela... a voz....a risada.... as perguntas .... a arte .... E o meu oxigênio!!!

    ResponderExcluir

Fico muito feliz com seu comentário! :)