Buscar

Seguidores

Visitas



Mãe Amiga: Julia Usui

Semana passada a Ju me deixou um comentário pedindo pra escrever um relato. Contatei ela e disse que o programaria pra Abril. Mas assim que recebi o arquivo dela, não me contive. Reprogramei as postagens e o dela vai ao ar hoje!

Pra variar só um pouquinho, chorei muito. Vocês que me mandam relatos, vão fazer vaquinha depois pra pagar minha cirurgia contra as rugas, né?!
Brincadeiras a parte, simbora ler:


"Então, fui brincar com coisa séria com a Bru, deu no que deu...agora tô aqui contando minha história como mãe de gêmeos em uma família modernex. Sim, uma família dos tempos modernos, algo do tipo Eduardo e Mônica, eu Eduardo e o maridin a Mônica....hehehe....Nos conhecemos no ambiente de trabalho, ele um diretor de empresas e eu uma iniciante no mercado, ainda nas aulinhas de inglês e último ano de faculdade, ou seja, com muito feijão e arroz pra comer nessa vida. Demorei muito tempo pra sacar que estava sendo paquerada por aquele homem maduro, sério e de olhos pequenos, ele me olhava de um jeito diferente mas nem de longe desconfiava de sua real intenção, porém ele muito determinado, descobriu que eu estaria em uma festa, dessas do tipo bregas, dos anos 80, sabem?  e advinhem quem estava lá me filmando? O próprio! Foi chegando, chegando, conheceu toda minha tchurma, tratou de se enturmar e me convidou para jantar... e... bem a partir daí vcs já sabem, não resisti aquele homem maduro, não tão sério e de olhar encantador, começava ali nossa história e planos de uma família não tão convencional assim.

Casamos após 2 anos de namoro e já com o objetivo de formar nossa família, recorremos a tratamentos, tivemos um negativo, foi uma pancada forte mas não desanimamos, após reestabelecer o coração e bolso, tentamos novamente, dessa vez eu sentia que era pra valer, confiei em Deus e não deu outra! Tivemos nosso tão esperado positivo, que certamente foi um dia mágico, consigo lembrar cada pedacinho daquele dia, eu não cabia em mim de tanta inquietação, as horas não passavam, o exame ficaria pronto 15h e o marido já estava na porta do laboratório desde 13:30, tanto que o atendente ficou com peninha dele e imprimiu o exame antes, ele não conseguiu se segurar, abriu o exame sem minha presença e me ligou soltando foguetes, Parabéns Mamãe!!!!! Ficamos radiantes de tanta felicidade e com lágrimas nos olhos eu só conseguia dizer: Obrigado Deus!

Em nossa primeira consulta de Pré-Natal, logo vimos dois pontinhos na US, mesmo confusos com as imagens do exame tinhamos certeza, eram dois, porém uma semana após esse mesmo exame outro “pontinho” apareceu, não eram dois, eram TRÊS! Saímos do consultório boquiabertos, anestesiados, sem saber o que dizer um para o outro, felizes, mas mt surpesos, preocupados e assustados tbm.... Liguei para minha médica, minha mãe e elas mal podiam acreditar. Mas naquele momento guardei o medo no bolso e disse para mim Deus dá o fardo de acordo com o que podemos carregar!

A partir dali, apesar do susto, nos programos para ser pais de 3, fizemos enxoval para 3 , escolhemos 3 nomes, 3 casais de padrinhos, tive uma gravidez muito, muito feliz, a família era só alegria, meus pais imensurávelmente corujas, me sentia a pessoa mais realizada do mundo, mas com 30 semanas de gestação veio o susto, o maior susto de toda nossas vidas. O terceiro bebê, que era nossa menina Sofia, apresentou um nó de cordão, o próprio cordão se enrrolou e limitou o fluxo sanguíneo, minha vida virou de cabeça para baixo, já não raciocianava direito, tudo correu muito rápido, fazíamos US diárias e a para nossa tristeza a cada dia um orgão estava sendo prejudicado devido o baixo de fluxo sanguíneo, foi uma semana de terror, a pior semana de toda nossa vida! No quinto dia de angústia, dela e de toda família, nossa Sofia se foi, Deus a levou para junto dele. Perdemos o chão, a direção, me negava a acreditar que aquilo estava acontecendo conosco! O desespero foi total, pois nós humanos não temos capacidade p/ entender como isso pode acontecer. Tendemos a perder a fé e até ficar "de mal" com Deus por estar sentindo tanta dor, tanto sofrimento e mt menos entender, aceitar as razões.

Com o passar dos dias, a dor foi ficando menos visível (não menor), mas sempre tive meus altos e baixos... e ao entendemos que mesmo que ela se mantivesse com aquele fluxo baixo,havia uma grande chance dela ser uma criança com várias cardiopatias complexas. E Deus não a traria ao mundo para sofrer, foi ali que percebi que o fardo poderia ser muito pesado para eu carregar. Mas isso é algo que ainda converso com ELE, ainda o pergunto o porquê, eu e o maridin ainda choramos juntos, ainda nos perguntamos e se...??? No fundo sabemos que nada nos servirá de consolo, esses questionamentos nunca desaparerão definitivamente, mesmo sabendo que ela está ao lado de Deus, como um anjo guiando nossas vidas, mesmo após quase dois anos, ainda dói, dói demais! Mas não seria por isso que iria deixar de ser forte, muito, muito forte pelo Gabriel e Vinícius, que estavam super bem, com ótima evolução e bom peso. Fiquei internada por mais 3 semanas, conseguimos segurar a gestação já que os 3 eram de placentas diferentes, então o ocorrido com ela não “interferia” nos dois, foram 3 semanas de muito cuidado, duas US diárias, escuta do coração de 4 em 4, corticóides para o amadurecimeto dos pulmões, muito carinho e atenção da família, dos amigos, dos médicos, do hospital, impressionante como me senti acolhida naquele lugar, mesmo após um Tsuname ter passado em nossas vidas.

Gabriel e Vinícius  nasceram com 33 semanas, lindos, fortes, pequenos em tamanho mas imensamente amados, chegaram para iluminar e completar nossas vidas, apesar de nascerem bem, ficaram 17 dias na UTIneo para ganhar peso, foi um período desgastante, mas um período importante para o casal, todos esses acontecimentos fortaleceram ainda mais nossa relação como casal, como família e como parceiros, tivemos o amor e apoio integral um do outro naquele momento delicado porém de felicidade plena.

Hj posso dizer que superamos a dor, ainda me pego tristinha pelos cantos, mas daí vem o Gabriel e Vinícius e se jogam em cima de mim, me enchem de beijos, disputam meu colo, fazem sapequices e logo mando a tristeza pastar, pois seria muita ingratidão de minha parte não me contentar com esses dois rapazes lindo, cheios de vida, saúde, simplesmente pq Deus decidiu mudar o rumo das coisas não é mesmo?




E o mais recompensador em ser mãe de gêmeos é deitar no travesseiro e se dar conta do quão preciosos eles são, pois sinto-me imensamente presenteada com o melhor que eu poderia receber. Minha família, ao lado de homem que apesar da grande diferença de idade,  passou muito tempo esperando por mim. Espero que meu relato, sirva de exemplo para aquelas pessoas que sofreram alguma perda, ou simplesmente tem uma família diferente de um comercial de margarina e minha mensagem é simples e clara: Nunca deixem de sonhar, corram atrás dos seus sonhos e principalmente não dêem ibope para quem não tem capacidade de entender que sua felicidade pode estar no “diferente”, bem longe de todos os estereótipos.

Bruuuu, obrigada pelo convite! Certamente uma grande honra!

Beijos queridas!

Jú, a mãe dos Japaboys mais lindos do universo!"

A Ju também escreve um blog, Os Gêmeos da Ju.

Ju, obrigada pela confiança e por dividir a tua história com a gente!

Beijos,
Bru

18 comentários:

  1. Nossa que história...
    Lindo lindo esses meninões!!
    Parabéns mamãe e papai!!!
    Bjs Pri :)

    ResponderExcluir
  2. Julia,parabéns pela familia linda!!
    Que Deus te continue te abençoandoe te dando sáude pra cuidar dos teu "japas" sempre!!!

    ResponderExcluir
  3. Julia,parabéns pela familia linda!!
    Que Deus te continue te abençoandoe te dando sáude pra cuidar dos teu "japas" sempre!!!

    ResponderExcluir
  4. Nossa... fiquei boquiaberta...
    Entrei no mundo da Ju (e ela no meu) a pouco tempo, então não acompanhei o blog desde o início e nunca poderia imaginar sobre o ocorrido com a Sofia... Se já achava ela forte... agora então!!!! A admiro mais ainda.
    Beijos e PARABÉNS!!!!!

    ResponderExcluir
  5. Jú!!!! Esse relato me deixou assim,... a cara tá inchada! hehehe Lindo relato, e nunca imaginei, assim como a Cátia, que você tem três filhos (sim, a princesa que hoje é um anjinho, mas ainda assim é sua filha). Querida, uma mulher de fibra assim como um homem de fibra, não poderiam ser diferente do que são. Parabéns pela linda família, pela união de vocês e pelos filhos, super japaboys, que já são tão queridos por nós, amigas virtuais! Um beijo grande o seu coração.

    ResponderExcluir
  6. Linda história Júlia! Saiba que tudo na vida da gente tem um propósito, talvez hj ainda seja incompreensível...mas certamente um dia vc entenderá pq tudo isso lhe aconteceu. Seja muito feliz com as suas lindezas! Eu, assim como vc, penso que a felicidade não é esteriotipada. Parabéns pela sua história. Grande beijo!

    ResponderExcluir
  7. Obrigada meninas!!! Chorando com todos os comentário!

    Vcs são lindas!

    bjs

    ResponderExcluir
  8. Linda história, já conhecia um pouco mas agora muito mais! Amiga vc é um exemplo!!

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Nossa que lindo... relmente você tem um presente, quer dizer dois,não três com seu marido. Lindo relato e família. Cris

    ResponderExcluir
  10. Lindo relato... Bru, parabens por sempre abrir um espaço para outras mamães aqui tambem!!! seu blog é real, é justo, é de bom gosto! parabens de verdade

    bjssss
    Tita

    ResponderExcluir
  11. Eu já conhecia a história da Jú desde o blog anterior, mas sempre que leio o seu relato me emociono muito. Te admiro d+ Jú, parabéns pela família linda.
    Beijos da Lisi e da Lulu

    ResponderExcluir
  12. Conheço a história da Ju desde o início e acompanhei tudo!!!
    É a primeira vez que vejo ela contar a história da Sofia, uma anjinha muito amada!!!
    Claro que me emocionei muito,pois admiro muito a Ju!!!
    Bjs,
    Mari

    ResponderExcluir
  13. Oi, Bruna que história linda tô até chorando e sem palavras. Parabéns aos dois!

    Bjssssssssssssssssss, Dani Cardão.

    ResponderExcluir
  14. Que linda história! Eu já tinha lido no teu blog, o primeiro, mas mesmo assim foi emocionante de ler. Conheço algumas mães que tb perderam seus bebês, e acho que o teu relato deve ajudá-las. Parabéns pelos filhotes! Adoro visitar teu blog e vê-los. bjs

    ResponderExcluir
  15. Ju, sabe que acho sua história linda né?
    Amei saber mais dela, rs

    Beijos!!
    Lilia

    ResponderExcluir
  16. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  17. Fiquei muito emocionada lendo este relado. Assim como a Ju eu também sofri uma perda e também tenho uma família diferente. Um marido 20 anos mais velho. Dois filhos, um adotivo e outra fruto de um tratamento de FIV. Parabéns Ju.

    ResponderExcluir

Fico muito feliz com seu comentário! :)