Buscar

Seguidores

Visitas



O que fazer com o Cordão Umbilical?!

Quando se fala em cordão umbilical, a primeira coisa que penso é em congelar para prevenir problemas futuros.
Infelizmente esse recurso é extremamente caro, tanto o procedimento quanto o armazenamento (pra quem não sabe, paga-se uma espécie de anuidade ao banco de sangue que deixarmos os cordões).

Então decidi por doar o sangue dos cordões, já que é um sangue rico em células-tronco e que pode ajudar muitas pessoas.

Segue algumas perguntas e respostas importantes a respeito da doação do sangue do cordão umbilical:

O sangue do cordão umbilical e placentário é utilizado para que tipo de tratamento? Durante a gravidez, o oxigênio e nutrientes essenciais passam do sangue materno para o bebê por meio da placenta e do cordão umbilical. O sangue que circula no cordão umbilical é o mesmo do recém-nascido. Quando pesquisadores identificaram no cordão umbilical um grande número de células-tronco hematopoéticas, que são células fundamentais no transplante de medula óssea, este sangue adquiriu importância, pela doação voluntária, para pessoas que necessitem do transplante.

O sangue do cordão umbilical é utilizado para que tipo de tratamento? O sangue do cordão é uma das fontes de células-tronco para o transplante de medula óssea e este é o único uso deste material atualmente. O transplante é indicado para pacientes com leucemias, linfomas, anemias graves, anemias congênitas, hemoglobinopatias, imunodeficiências congênitas, mieloma múltiplo, além de outras doenças do sistema sanguíneo e imune (cerca de 70 indicações).

O que é Brasilcord? 
É uma rede que reúne os Bancos Públicos de Sangue de Cordão Umbilical. Hoje, estão em funcionamento as unidades do INCA no Rio de Janeiro, do Hospital Albert Einstein, do Hospital Sírio Libanês e dos hemocentros da Unicamp e de Ribeirão Preto, todos no estado de São Paulo. No restante do Brasil estão funcionando as unidades de Brasília, Florianópolis, Fortaleza e Belém. A instalação de bancos em todas as regiões do país é imporante para contemplar a diversidade genética da população brasileira. O INCA é responsável pela coordenação da Rede. A Portaria Ministerial nº 903/GM de 16/08/2000 e o RDC da Anvisa 153 de 14/06/2004 regulamentam os procedimentos da Rede. A criação da Rede Brasilcord foi regulamentada pela Portaria Ministerial nº 2381 de 28/10/2004.


Como é feita a doação do sangue do cordão para um Banco Público?
A doação é realizada em maternidades credenciadas do programa da Rede BrasilCord, que reúne os bancos públicos de sangue de cordão. Existem alguns controles no momento da coleta do sangue do cordão, necessários para um bom aproveitamento das unidades. Portanto, não se trata de uma doação universal como ocorre com sangue e que pode ser feita em qualquer hospital ou por qualquer pessoa, sendo limitada aos hospitais que fazem parte do programa.

Como é feita a coleta de SCUP?
Após o nascimento, o cordão umbilical é pinçado (lacrado com uma pinça) e separado do bebê, cortando a ligação entre o bebê e a placenta.
A quantidade de sangue (cerca de 70 - 100 ml) que permanece no cordão e na placenta é drenada para uma bolsa de coleta.
Em seguida, já no laboratório de processamento, as células-tronco são separadas e preparadas para o congelamento.
Estas células podem permanecer armazenadas (congeladas) por vários anos no Banco de Sangue de Cordão Umbilical e disponíveis para serem transplantadas. Cabe ressaltar que a doação voluntária é confidencial e nenhuma troca de informação será permitida entre o doador e o receptor.

Fonte: INCA

3 Beijos,

Bru, Pedro e Lucca.

2 comentários:

  1. o blog ficou uma fofura assim azulzinho!
    bjo pra vcs 3

    ResponderExcluir
  2. Tb achei muiiiito mimoso esse poá azul. bjos

    ResponderExcluir

Fico muito feliz com seu comentário! :)