Buscar

Seguidores

Visitas



Ecografia de Transluscência Nucal

Essa é a Eco que irei fazer amanhã, e espero que dê tuuudo certo!

Algumas informações sobre ela:

Translucência nucal


Os exames por imagem, hoje, permitem à gestante a possibilidade de verificar, ainda no início da gravidez, se o seu bebê é normal. Entre eles, está a ecografia, que, realizada entre 11 e 13 semanas, avalia a translucência nucal.

Translucência nucal - O que é?!


Na nuca do feto, existe uma área com liquido, entre a pele e o tecido subjacente, que aparece como um espaço escuro no exame ecográfico. Esse espaço é chamado de translucência nucal e pode ser medido no exame. Se estiver aumentado, pode ser sinal de doença cromossômica, como a Síndrome de Down, Síndrome de Turner e de outras mais raras.


Como é feita a avaliação dessa medida?

A medida da TN é analisada por um programa de computador que considera a idade gestacional e calcula o risco ajustado de o bebê apresentar um defeito cromossômico.


Todas as mulheres correm o risco de ter um filho anormal?

Todas as gestantes correm o risco de dar a luz a um bebê com defeito cromossômico. Esse risco, que aumenta com a idade, chama-se risco inicial. Uma mulher de 25 anos tem risco inicial de 1/430; uma de 35 anos tem risco de 1/ 125.


O que é risco ajustado?


Chama-se de "ajustado" o risco individual, calculado para uma determinada gestante. Dependendo da medida da TN esse risco pode aumentar ou diminuir. Uma mulher grávida pode passar de um risco inicial de 1/400 para 1/2300, o que significa uma redução considerável na possibilidade de ter um feto doente. Se a TN do feto está aumentada, o risco ajustado pode subir, por exemplo, para 1/18. Isso significa que, de 18 mulheres, uma terá um bebê defeituoso.


O que fazer?


Se a gestante considerar o risco muito alto, poderá optar por submeter-se à amniocentese ou à biópsia da vilosidade coriônica, exames de diagnóstico genético que oferecem maior precisão. A amniocentese consiste na retirada, com agulha fina, na 16ª semana de gestação de uma pequena porção do liquido amniótico, que será enviado para análise em laboratório. A biópsia coriônica, realizada entre 11 e 13 semanas de gravidez, coleta uma pequena amostra de células fetais. A informação sobre os cromossomos do feto fornece dados sobre a possibilidade de más formações estruturais e doenças genéticas, como a Síndrome de Down e de Turner.

A Trânslucência nucal calcula o risco, mas não fornece diagnóstico preciso.

Fonte: Lincx

3 Beijos,

Bru + 2.

Um comentário:

  1. Flor eu estou de 12 semanas e gostei do seu blog é um bb só meu e estou ansiosa pra saber o sexo mais acho que minha maior presa mesmo é pq quando eu chegar na 17 semana o risco de um aborto vai passar mais tenho um filho de 5 anos mais ja passei por dois abortos e tenho medo, sim lindo seus bbs parabéns que Deus abençoe vc e sua familia bjão

    ResponderExcluir

Fico muito feliz com seu comentário! :)